Mulheres da Contabilidade falam tudo sobre Demonstrações Contábeis

Painel aborda os pontos de atenção na Contabilidade, na Auditoria e na Gestão Tributária

foto-1-3

Neste painel, formado exclusivamente por grandes mulheres da Contabilidade, o objetivo foi destacar os principais pontos de atenção que o profissional deve ter no encerramento das demonstrações contábeis, sob a ótica da Contabilidade, da gestão fiscal e da auditoria.

“O público recebeu alertas, orientações e, inclusive, algumas soluções oferecidas pelas especialistas que interagiram o tempo todo com os presentes”, disse a auditora e conselheira do CRCSP Angela Zechinelli Alonso, uma das debatedoras.

Participaram do painel a vice-presidente do CRCSP Marcia Ruiz Alcazar; a profissional da contabilidade, administradora de empresas e pós-graduada em Direito Tributário, Lilian Carla da Silva, e a sócia-diretora do escritório da KPMG de São Paulo, Tatiana Correa Torres.
Para a vice-presidente Marcia, as demonstrações financeiras são as maiores preocupações da classe contábil, por isso é tão importante esse momento de compartilhar vivências, dificuldades, desafios.

“A maioria do público presente na Convenção já é profissional da contabilidade. Então, o que se espera com esse painel é agregar. Foram apresentadas três visões complementares de um assunto tão abrangente, com muitas particularidades. A ideia é que o público se inspire e tenha bons exemplos para seguir”.

Tatiana, sob a ótica da auditoria, abordou assuntos significativos a serem refletidos no fechamento de 31 de dezembro de 2016, como o novo parecer do auditor e áreas que estarão em pauta dos órgãos reguladores e do próprio auditor.

“Falamos também sobre o futuro, as normas que estão prestes a ser emitidas; o futuro da profissão frente à robotização e novas tecnologias, além de nosso papel da área contábil, considerando o cenário brasileiro de combate à corrupção”.

Lilian Carla contou que sua apresentação focou no atual momento da economia brasileira, no planejamento e gestão tributária.

“Atualmente, as empresas não estão vendendo, os financiamentos estão difíceis de serem liberados. Por outro lado, o governo precisa arrecadar para manter a sua estrutura pública. Então, o que acontece? O governo tende a fiscalizar ainda mais as empresas e a cobrar mais tributos. Por isso, essa é a oportunidade que o profissional da contabilidade tem de mostrar o seu verdadeiro papel”.

Segundo Lilian, o contador é um mentor, é um conhecedor técnico que, há muito tempo, deixou de se preocupar com apuração de tributos. “Ele deve estar ao lado da diretoria, fazendo parte de um comitê com a alta cúpula da organização.

“Parafraseando Walt Disney, “prefiro o impossível porque no impossível não existe concorrência. É isso que penso hoje do novo papel do profissional contábil. Devemos fazer tudo que é possível para mostrar o nosso valor”, finalizou a administradora de empresas.

Fonte: http://www.crcsp.org.br/portal/divulgacao/convencao/cobertura/sorocaba.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s